in se pá, só desabafos

Scroll lóqui

Coloquei a cabeça no travesseiro e dei meu último scroll aleatório da noite, desses que você passa 5 posts e cai num cara falando do corinthians, ou que está assistindo breaking bad, ou que o Vingadores novo é o máximo. E eu daqui, com uma cabeça conturbada que já aprendeu com o tempo a ignorar o rancor como sugeria o Dexter (o rapper, não o personagem da série) num já longínquo 2005, me desligo de um mundinho maluco em que as pessoas estão eternamente em conflitos mútuos o tempo todo, por birras, por microlinhas tênues de amizade, aparências, caronas, esperanças.

Me incomoda a sensação de já não saber mais o que fazer aqui. Me bagunça a cabeça ver que todas as escolhas que fiz (mas principalmente as que não fiz) me levaram a um lugar tão pesado e tão distante quanto esse travesseiro cheio de culpa e pequenos remorsos. Tudo fica maior e mais confuso depois dos 30. Não é mais um pequeno detalhe bobo que vai lhe tirar o sono. Não é mais deprezinha e misantropia, é a incerteza do futuro, palpável ou inexistente que escancara a porta da sua ansiedade e vai fazer qualquer testemunha de Jeová ou vendedor de detergentes palestrar por horas.

Não, eu não tô fazendo sentido. Talvez seja só o final das férias, só o aniversário sábado ou só a vontade inacreditável de organizar a biblioteca do condomínio dos meus pais. Eu só espero estar com a cabeça e o coração no lugar neste ano que tá pra recomeçar.