in fat wreck, gordao

Fat Wreck

Estou sentado em minha cadeira do trabalho quando, atrás de mim, uma das estagiárias do jurídico com trejeitos de uma bem sucedida blogueira de moda diz em alto e bom som para um de seus colegas “ahhh, mas você já foi gordo” rindo agressivamente , como resposta para uma conversa que eu gostaria muito de estar ouvindo antes para poder dizer melhor. Neste momento não olho pra trás, não me movo, quase não respiro.

Ser gordo em um ambiente corporativo faz você querer parar de respirar às vezes.

Das coisas mais difíceis em ser um obeso mórbido num ambiente corporativo é ser, mesmo que sem querer, um espectro negativo sempre presente para a vida alheia:

– quer uma bolacha recheada?
– ah, não valeu, não vou comer isso senão…

Senão fica igual a mim.