in BIRL

155

 

jabba

15 dias depois, mais um relato sobre esta tentativa de reeducação alimentar. É uma tentativa despretensiosa, mas que precisa dar certo. Acho que é porque eu preciso dar certo também. Foram 15 dias pouco mais complicados que os primeiros 21 anteriores. Digo isso porque aconteceu de sentir falta de algum sabor diferente num dia ou outro.

As tentações as quais acabei caindo foram 1 halls (não um pacote, uma bala mesmo) e uma banana num dia que cheguei no trampo e não tinham mais maçãs no cesto (agradecendo diariamente por estas frutas no trampo, sério). Ah sim, teve um dia antes de me pesar, que foi uma caralhada de melancia. Não sei porque julguei que não faria muita diferença.

Outra das tentações que me acometeram neste mês foi num dia que a Mari fez a degustação de doces finos para o casamento da Camila e do Danilo. Na ocasião, mandei mensagem pro Diego um tanto desesperado, como um ex crakeiro na porta da biqueira. Conversamos ali 3 minutos e me convenci a não comer nada, embora tenha provado um dedinho de cheesecake de frutas vermelhas, mas apenas porque não sabia qual era o sabor de um cheesecake e sempre ter sido julgado por esse fato (nota pessoal, o sabor é mágico).

Daí, na balança, menos 4kg. Decepcionei um pouco porque esperava mais. Principalmente por estar me sentindo tão bem. Subindo escadas, andando tranquilamente, quase correndo, não fosse meu tornozelo machucado.

Não me sinto menor, não me sinto uma pessoa emagrecendo, de forma alguma (ainda me olho no espelho enxergando o jabba the hut). Mas a diferença física é incontestável. Provavelmente também pelo fato de ter parado de fumar e beber e chegando ao segundo mês sem ressacas, note.

Estou seguindo em frente. Um abraço a todos os envolvidos.