in escolhas, futuro

Rio 2016

tumblr_obkgxfgZf21raox22o1_1280

Teve esse momento na vida que não sei exatamente bem quando se deu, mas provavelmente por volta dos 30, quando eu passei a me desapegar de gostos por qualquer coisa fora da realidade do meu violão e do meu pequeno universo particular. Acho que veio junto com o fato de nenhuma TV nunca funcionar em nenhum lugar onde morei fora da casa de minha mãe (e o fato de eu também não estar muito ligando em reclamar disso pro proprietário). Acontece que perdi o gosto por baladas, por confusões de gente querendo se divertir a todo custo, cinemas, praças de alimentação, teatros (não que eu tenha ido ver alguma peça nesse tempo todo). E então passei a não assistir futebol de quarta nem de domingo, nem me interessar pela NBA, nem pelas Olimpíadas.

Esta última tem me causado reflexões. Porque, veja, em todo portal de notícias que você entrar, lá vão estar notícias sobre atletas os quais você nunca ouviu falar e sequer se importa. O que não os torna menores que você, acontece que eles fazem parte da sua vida tanto quanto os tiozinhos barbados de chapéus extravagantes abraçados na Oktober Fest de um ano qualquer ou quanto uma mandioca gigante colhida numa pequena fazenda de São José do Rio Preto (pausa in memorian das 5 pessoas que você conhece que fariam piadas automáticas com o termo “mandioca gigante”).

Claro que temos polêmicas gigantes também. Gente horrorizada com a hipersexualização da mulher como se fosse a grande novidade do mundo (provavelmente nunca assistiram pânico na TV), gente rebatendo essas críticas falando de coisas como o tumblr de C. que elogia a beleza e os corpos de atletas masculinos também. Debates que deixam de lado tudo o que circundou esse evento antes que ele acontecesse, como gente que foi desalojada e humilhada durante o processo de construção de um Rio de Janeiro mais gringo-friendly que o habitual.

No fim das contas, a reflexão tem ficado num lugar comum: o futuro. Fico imaginando como será que vou lidar, caso um dia chegue a ficar velho e me perguntem “você lembra muita coisa das Olimpíadas de 2016?” e eu só possa responder com “poxa, pra ser sincero não me lembro muito bem, mas acho que C. tinha um tumblr com corpos de atletas sarados”.

Qui vivra verra.