Staying alive was no jive

Um pouco menos

Queria negar, mas ainda durmo e acordo pensando em você.

Nos dias que tava tudo bem.

Pensando no que realmente deve ter acontecido e nunca vou saber.

Continuo pensando em você, mesmo com toda essa distância, mesmo com o sabor da derrota e da rejeição batendo forte aqui.

Eu passei de esperar sua mensagem até não aguentar mais, até decidir depois não encher mais o saco. O que em algumas culturas significa sumir.

Aí eu passei a querer chamar a sua atenção. Nessa época eu tava a todo custo tentando provar que eu não precisava de você.

Claro que falhando miseravelmente.

Agora passei a te evitar a todo custo. Não quero mais saber, não quero mais tentar. Quero o torpor desses dias, quero sangrar até esvaziar de novo.
E quer saber, ainda bem.

A próxima fase é fingir que nada aconteceu. Que foi só uma brisa da minha cabeça. E esquecer pra sempre o que era pra ser eterno também.

Não era pra ser.

E definitivamente não será.

Acho que mereço. Estou nessa fase agora. De acreditar que não tem nada pra mim nesse mundo.

Estão voltando os pensamentos adolescentes de querer que nada disso dure muito.

Não espero que entenda.

Eu estava quebrado quando você chegou. Você fez com que eu acreditasse e depois me.jogou lá de cima, de cara com o concreto. O que você quebrou aqui foi além de um relacionamento.

Destruiu em mim esse acreditar.

Claro que a culpa é minha também. Eu não vi as placas chegando. Eu achei que tava tudo bem. Não existe pé na bunda, existe alguém não enxergando os sinais.

Esse era eu.

Então eu preciso deixar sangrar. Deixar doer em mim, ver isso tudo ruir de novo.

Essa é certamente a última vez que não nos falaremos.

Fica com Deus.

Leave a Reply